O cheiro de fio queimado, com certeza é muito comum. Isso geralmente ocorre quando ligamos algum equipamento específico, quando deixamos algo muito potente ligado por muito tempo, quando ligamos muitas coisas ao mesmo tempo, ou em diversas outras situações. No entanto, apesar de comum, não significa que não mereça atenção. Na verdade, o cheiro de fio queimado indica problemas nas instalações elétricas que podem por em risco o prédio e as pessoas.

De onde vem o cheiro de fio queimado?

As instalações elétricas são feitas por diversas peças de diversos materiais distintos. E muitos desses materiais são de plástico, como tomadas, interruptores e fios, e é justamente daí que vem o cheiro característico de fio queimado. O superaquecimento das peças de plástico da instalação, geram esse cheiro, podendo derreter e até mesmo pegar fogo.

Por que isso acontece?

São muitas as razões para esse aquecimento, mas vamos nos ater as mais comuns. Um dos principais motivos está relacionado a idade das instalações. Manutenções e reparos tem que ser feitos com frequência. O mais seguro é que sejam feitas manutenções a cada 5 anos, e seja feita substituição quando indicado. Dessa forma, ao não realizar as manutenções periódicas, os componentes podem se deteriorar e se tornarem mais propensos a problemas. A exemplo disso, temos as camadas protetoras dos feios, que tendem a ficar ressecadas com o tempo e menos resistentes a aquecimento.

Outro fator também ligado a idade da instalação é que, nos últimos anos, a quantidade de aparelhos elétricos que usamos  se tornou muito maior. No entanto, isso faz com que tenhamos que recorrer para adaptadores que multiplicam as tomadas, como os “benjamins” ou “T’s”, para que possamos ligar mais aparelhos. Porém, essas práticas não são boas para as instalações e podem gerar sobrecarga, causando aquecimento.

Além disso, apesar de todas as tomadas parecerem iguais, elas são para diferentes potências. Em um projeto elétrico, existem duas principais classificações para as tomadas, elas podem ser de uso geral (TUGs) ou tomadas de uso específico (TUEs). As do primeiro tipo, são as tomadas mais comuns em que são ligados os aparelhos em geral: TV, carregador de celular, computador, etc. Já o segundo tipo, são tomadas especiais, para aparelhos mais potentes, como chuveiro elétrico, micro-ondas e ar-condicionado.

Ligar um aparelho comum em uma TUE não causa nenhum problema, mas ligar um aparelho muito potente em uma TUG pode gerar sobrecarga no circuito, causando aquecimento. No entanto, apesar de prejudicial, essa prática é muito comum.

Por que devo me preocupar?

Como citado antes, com o superaquecimento, os componentes podem pegar fogo e gerar incêndios, colocando em risco o patrimônio e até a vida das pessoas. Além disso, é possível que ocorra danos a rede elétrica de forma a impedir o seu funcionamento, deixando a casa ou prédio sem energia.

fio-queimado-eletrojr

Além disso, em alguns casos, não há apenas o cheiro, mas também emissão de fumaça, ainda que em um pequeno volume. Essa fumaça apresenta riscos a saúde por ser altamente tóxica, o que se agrava em altas temperaturas, podendo causar lesões na traqueia e nos brônquios, chegando até os alvéolos.

O que devo fazer se estou sentindo cheiro de fio queimado?

O primeiro passo é entrar em contato com uma empresa de engenharia elétrica para que seja feita uma avaliação do cenário. Como discutido anteriormente, as causas podem ser diversas e as soluções podem variar de acordo com cada uma delas, podendo ser mais simples ou mais robustas.