Os riscos de descargas elétricas decorrentes de raios na rede elétrica podem gerar muitos prejuízos, mas desligar os aparelhos na chuva é mesmo necessário? Descubra agora.

Antes de mais nada, chuvas sempre trazem com elas o risco de raios na rede de energia. E em caso de não estar bem preparada para o impacto, a pessoa pode receber a descarga em sua casa, pode sofrer sérios riscos, bem como, a morte .

Portanto, devido à chance de pulsos elétricos causados por raios, desligar aparelhos elétricos na chuva é necessário. Entretanto, se danos ainda forem causados aos aparelhos elétricos, a concessionária é responsável por arcar com os custos.

Por que os raios afetam meus aparelhos

Raios são um grande problema nas redes elétricas. Mesmo que mecanismos tenham sido desenvolvidos para evitar problemas ao longo dos anos (como o DPS), é muito difícil desviar uma corrente equivalente a 10 kA (corrente média de uma descarga provocada por raio).

Para se ter uma ideia de sua magnitude, ela é quase 10.000 vezes a que usamos para carregar um aparelho celular. Essa enorme quantidade de energia em um curto espaço de tempo provoca a sobrecarga dos equipamentos elétricos atingidos.

Mas, como estamos (na maioria das vezes) conectados à concessionária de energia local, ela é responsável pela segurança do fornecimento de energia. Portanto, podemos procurar medidas para ressarcimento em caso de problemas, como o reembolso de bens danificados.

Como ser reembolsado em caso de queima de equipamentos

O procedimento muda muito pouco de estado para estado no Brasil. No caso da ENEL (concessionária do estados do Ceará, Rio de Janeiro, São Paulo e Goiás), basta seguir 5 pequenos passos:

1. Solicitação

No canal digita (site), no centro de atendimento ou via telefone, abra uma solicitação em até 90 dias corridos após o incidente. Assim, esteja consigo com os seguintes documentos:

  • Número da Unidade Consumidora/Instalação;
  • Informações que demonstrem que o cliente é o titular da unidade consumidora ou seu representante legal;
  • RG e CPF do titular da conta de energia;
  • Dados de contato (telefone e e-mail), da ocorrência (data e horário prováveis) e do equipamento (tipo, marca e modelo);
  • Descrição do ocorrido.

2. Análise da solicitação

A concessionária analisará seu pedido e será aprovado ou negado. Se negado, te informam dentro de 15 dias.

3. Vistoria

Se aprovado de primeira, pode ocorrer vistoria da concessionária ao local para análise da situação. Assim, o prazo para que ocorra é de 10 dias. Contudo, se a perda do equipamento afetar alimentos ou remédios, o prazo é de um dia útil.

Mas, cuidado: Não pode haver remoção dos equipamentos do local da ocorrência nem reparados até o fim da vistoria.

4. Orçamentos

A ENEL pode pedir até 2 (dois) orçamentos para o reparo dos equipamentos danificados. Sendo assim, o consumidor tem até 90 dias para realizar a cotação.

5. Resposta e Pagamento

A ENEL deve responder dentro de 15 dias corridos a partir da data da vistoria ou do pedido do ressarcimento, sem contar o prazo das pendências do cliente (como os orçamentos).

Se aprovado, dentro de 20 dias corridos será disponibilizado o ressarcimento.

O que fazer em caso de pedidos negados

Caso você esteja certo que a concessionária causou o dano e ainda queira recorrer, procure uma empresa de engenharia especializada. Ademais, a EletroJr faz laudos que têm base jurídica para tomada de ações legais.

Conheça mais sobre o Laudo das Instalações Elétricas, Clicando Aqui.

Por fim, se ainda não teve problemas, evite dor de cabeça e lembre sempre de desligar os aparelhos em caso de tempestades.